12 livros para 2017

O foco principal aqui são quadrinhos. Mas a quase exclusividade que dei a eles nos últimos anos me causou danos. Passei a ler pouquíssimos livros – e eles me fazem falta. Por isso, antes de falar sobre os quadrinhos que tenho lido, vou estabeler uma meta de livros para 2017, copiando o que vi em canais do youtube.

Três são releituras, com os demais trocava olhares há tempo.

Quatro são escritos em espanhol, quatro em inglês, quatro em português – todos estes brasileiros. Três são dos Estados Unidos e os cinco demais são da Inglaterra, México, Colômbia, Uruguai e Argentina. Seis autores estão vivos, seis mortos – um faleceu na semana passada. Três são mulheres, nove são homens.

Quatro são considerados clássicos, embora eu ache que são cinco. Pode-se dizer que só três autores são famosos, do tipo que têm a morte noticiada no Jornal Nacional; um deles ganhou o Nobel, os outros mereciam – mais uma opinião pessoal. Um quarto escritor está sempre cotado. Só um não é ficção, mas escrito por um autor, cujo nome verdadeiro é Eric Blair, que ficou célebre por elas.

A Companhia das Letras aparece quatro vezes; a Record, duas. Nova Fronteira, Alfaguara, Editora 34, Planeta Literário, Folha de S.Paulo (coleção Ibero-americana) e L&PM aparecem uma vez cada.

Eis!

O Círculo, Dave Eggers (Companhia das Letras)
Estados Unidos, inglês,
homem, vivo.

Corpo de Baile (vol.1), João Guimarães Rosa (Nova Fronteira)
Brasil, português,
clássico, releitura,
homem, morto, famoso. 

O que deu para fazer em matéria de amor, Elvira Vigna (Companhia das Letras)
Brasil, português,
mulher, viva.

Outros cantos, Maria Valéria Rezende (Alfaguara)
Brasil, português,
mulher, viva.

Antonio, Beatriz Bracher (Editora 34)
Brasil, português,
mulher, viva.

Pedro Páramo, Juan Rulfo (Record)
México, espanhol,
clássico, releitura,
homem, morto.

A vida Breve, Juan Carlos Onetti (Planeta Literário)
Uruguai, espanhol,
clássico?,
homem, morto.

Respiração Artificial, Ricardo Piglia (Folha de S. Paulo)
Argentina, espanhol,
homem, morto recentemente.

Cem anos de solidão, Gabriel García Marquez (Record)
Colômbia, espanhol,
clássico,
homem, morto, famoso, nobel.

Na pior em Paris e Londres, George Orwell (Companhia das Letras)
Inglaterra, inglês,
releitura, não-ficção,
homem, morto, famoso, eric blair.

Associacão judaica de polícia, Michael Chabon (Companhia das Letras)
Estados Unidos, inglês,
homem, vivo.

Complexo de Portnoy, Philip Roth (L&PM)
Estados Unidos, inglês,
clássico,
homem, vivo, cotado ao nobel.

 

OS PRIMEIROS PASSOS

Anúncios