shazam! – com uma palavra mágica…(novos 52)

Uma nova aventura de origem atualiza Billy Batson, identidade à paisana de Shazam. Deixa de lado a pureza e a ingenuidade características do personagem. No lugar, um órfão problema de idade avançada que vive sob a tutela de uma assistente social e pula de casa em casa sem conseguir encontrar um lar definitivo. Os Vasquez são a enésima tentativa, mas têm algo especial: costumam acolher crianças mais velhas e parecem ter um motivo bem particular para isso – ele chega à nova família para ser o sexto filho adotivo.

shazamA partir daí começam pequenos desentendimentos, seguidos de aproximações e novas rejeições. A relação entre Billy e a nova família ganha caráter menos banal e se aprofunda à medida que ele se aproxima do seu destino místico, com os antagonistas clássicos do herói, Dr. Silvana e Adão Negro, fazendo relevantes aparições.

A trama consegue se manter atraente e divertida até o fim, com pequenas revelações e reviravoltas ao longo das cerca de 170 páginas de história. Mesmo não sendo personagens bem desenvolvidos, gosto bastante da participação dos irmãos de Billy (Mary, Freddy, Pedro, Eugene e Darla), que aparecem a maior parte do tempo em conjunto. Dão boa dinâmica para as partes não-heroicas do quadrinho, particularmente minhas preferidas.

A resolução final talvez seja um pouco simples, mas não chega a abusar da licença poética, como parece comum em roteiros de herói. Bem no fim, uma ponta solta indica continuação. Enfim, foi diversão para toda a família.

avaliação
3,8 / 5
(bom)

shazam_ilustra

Shazam! – Com uma palavra mágica…
Geoff Jons (roteiro), Gary Frank (arte) e Brad Anderson (cores)
Levi Trindade e Bernardo Santana (tradução)
Panini Books, outubro de 2015
196 páginas, 17 x 26 cm, colorido, capa dura, R$ 29,90

Shazam!
DC Comics, maio de 2012 a agosto de 2013 (mensais)


P.S.: Vale lembrar que Shazam é um herói cuja saga fora dos quadrinhos é mais cheia de reviravoltas do que qualquer roteiro. Em meio a brigas judiciais que se arrastaram por décadas, assumiu várias identidades (Marvelman, Capitão Marvel, Miracleman) e viveu em muitos mundo (fawcett, marvel, dc). Mas esse é um assunto que talvez seja retomado aqui quando eu ler Miracleman, clássico de Alan Moore.

 

Anúncios

Sim, não, muito pelo contrário? Conta aí o que você achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s